Diagma e CBL parceiros no Nordeste

25/05/2017 [Actualité] Voltar

CBL Alimentos monta sistema de logística compartilhada com economia de mais de R$ 500 mil/ano

Projeto piloto da ECR Brasil com apoio da consultoria Diagma sugere novo modelo de cooperação entre indústria e varejo, com vantagem financeira e redução nas emissões de CO2.
 
As crises podem ser uma boa oportunidade de pensar soluções criativas para o desenvolvimento, e a colaboração aberta é um dos modelos que devem prosperar na indústria nas próximas décadas.
 
Em projeto da Associação ECR Brasil (Resposta Eficiente ao Consumidor) e apoio da consultoria em Supply Chain Diagma, a CBL Alimentos iniciou um projeto de mutualização logística com parceiros regionais que chegou a reduzir em até 30% as tarifas de frete e à metade o tempo para distribuição dos produtos. Ao final de 12 meses do projeto piloto, os parceiros envolvidos chegaram a uma economia de R$ 560 mil.
 
Com mais de 45 anos no mercado, a CBL Alimentos é uma empresa especializada em laticínios empregando hoje mais de 1800 funcionários. O projeto de mutualização logística passou a utilizar veículos de carga com retorno garantido e pensando a gestão das rotas para otimizar a utilização dos Centros de Distribuição. Apenas no projeto piloto as indústrias reduziram a metade do tempo de contratação de veículos e o custo do frete foi reduzido em 20%.
 
Sendo comumente conflituosa a relação entre indústria e varejo, especialmente quando se trata de parcerias de compartilhamento, o uso das ferramentas de análise em Supply Chain aponta a mutualização como benéfica para ambas as partes. Ao consumidor final, uma distribuição rápida e eficiente tem resultados diretos na qualidade do serviço prestado.
 
Especialista da Diagma em produtos de grande consumo, ou FMCG (Fast Moving Consumer Goods), Eduardo Sanches afirma que 19% do custo total em uma cadeia de varejo está relacionada aos processos de Supply Chain; destes, 60% se referem a armazenagem e transporte de produtos, fazendo dessa especialidade uma necessidade estratégica para superação em momentos de crise. “A CBL Alimentos é um case de sucesso em mutualização logística, e a prova de que a confiança e boa gestão trazem benefícios mútuos”, completa o consultor.
 
No caso da CBL Alimentos, buscaram empresas com sinergia de necessidades, em relação ao tipo de produto, frequência de distribuição e rotas. Com as informações em mãos, foi feita a centralização do cadastro de itens e, a partir daí, montadas rotas de convergência. 
 
Em parceria com uma rede nacional de hipermercados, uma marca de água mineral  e uma rede de supermercados regionais, foi estabelecido um sistema de backhaul para otimizar o transporte e distribuição de produtos entre Ceará, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Sergipe.
 
Superintendente de Planejamento de Vendas e Operações e Logística na CBL, Antonio Rodrigues aponta que os principais desafios do novo sistema ainda são a cultura de pouca confiança entre os parceiros para compartilhamento de dados e a ausência de dados institucionais das próprias empresas, sendo o grande desafio transformar esse projeto piloto em um processo contínuo.
 
“O formato do sistema e a economia alcançada dependem do parceiro. No caso do hipermercado, onde o ganho é mais em volume, a redução chegou a 20%. Ao final do projeto piloto, observou-se uma economia real de R$ 560 mil/ano para todos os colaborados e a redução à metade do tempo de distribuição; o tempo ocioso do transportador passou para zero. A novidade é que passamos a fazer o cálculo da redução de CO2, já que alcançamos a diminuição de veículos em rota entre 30% e 40%. Segundo nossos cálculos foram poupadas 543 toneladas de CO2, em um total de 740 embarques, o que corresponde a 400 árvores plantadas.
 
Esse caso foi matéria no Diário do Nordeste no dia 24 de maio de 2017, confira: https://goo.gl/UExiFu