O setor da indústria química

O setor de química é fortemente intensivo em capital e tem, às vezes, um acesso difícil ao financiamento bancário em razão de seu caráter cíclico.

A diversidade dos produtos é extremamente importante se distinguirmos a química de base e a química de especialidades cujas aplicações são muito diversificadas (farmácia, automóvel, agro alimentar, construção).

Desde 2008, o setor tem vivido uma grande incerteza e variabilidade em várias vertentes: demanda, preço dos produtos, preço das matérias primas, regulamentação, exigências de desenvolvimento sustentável.

A isso, vem se somar um ambiente de corrida para a inovação e de concorrência crescente dos países emergentes que fazem com que os mergulhadores industriais do setor tenham que enfrentar muitos desafios. Entre eles, o controle dos custos de transporte/logística que representam 10% do faturamento, é um dos mais importantes pelo seu impacto sobre a rentabilidade.

Desafios

A crise tem como efeito de baixar os estoques no setor e, por isso, exige necessidades de reatividade muito rápidas por parte dos fornecedores aumentando o risco de ruptura quando da volta à produção normal.

A Supply Chain pode oferecer respostas, em especial através da qualidade/maturidade da planificação da produção e do transporte em vários níveis:
 
  • Planificação em médio prazo (S&OP): poder construir, com uma boa reatividade, cenários em função da evolução da demanda e da flutuação do valor das matérias primas, permite, inclusive, com previsões pouco confiáveis, administrar melhor os riscos, com um bom entendimento entre os agentes; tomar decisões mais concertadas sobre o equilíbrio de encargos economicamente viável, com uma boa antecipação das capacidades de transporte a serem implementadas, enquanto melhora o controle dos estoques ligados aos planos de limitação úteis para garantir a qualidade de serviço.
     
  • Planificação em curto prazo: poder decidir muito rapidamente como gerir a escassez entre os clientes, de acordo com a importância da mesma, através de uma lógica de ATP (Available-to-Promise); as alavancas desta prática avançada são um bom conhecimento de todos os pedidos, dos estoques e das fabricações em curso e dos planos de produção em curto prazo bem como a possibilidade de atualizar muito rapidamente os planos.
 
Em todas essas situações, ferramentas de suporte à decisão são um complemento imprescindível à inteligência coletiva para garantir a agilidade requerida da Supply Chain.

A contribuição de DIAGMA

Criada em 1973, DIAGMA é hoje um dos escritórios de consultoria em Supply Chain Management de referência, classificado várias vezes n°1 de seu setor na França.

  • DIAGMA acumula várias experiências com agentes do setor, operando na escala internacional. O valor agregado da DIAGMA junto a eles baseia-se em:
    • a ajuda à convergência sobre objetivos de melhoramento tangíveis e acessíveis.
    • a contribuição de boas práticas de planificação, gestão dos estoques e dos transportes para agir de forma eficaz sobre os custos, a NCG e a qualidade de serviço.
    • a metodologia para desenvolver a adesão dos funcionários das operações às soluções pragmáticas e inspiradas das melhores práticas.
    • o conhecimento das ferramentas avançadas e da integração das mesmas para reforçar a agilidade da Supply Chain.